As leis na China são únicas e pensadas de forma diferente do resto do mundo. O controlo do estado é uma presença constante e tudo é feito para que este seja reforçado sempre que possível.
Uma nova lei, aprovada este domingo, vai permitir que o governo possa ter acesso a todas as comunicações, mesmo as cifradas, assim o deseje.

A nova lei, enquadrada em várias medidas de combate ao ciberterrorismo, passou a ditar que todas as empresas que operam no território chinês são obrigadas a facilitar o acesso à informação necessária para quebrar as cifras aplicadas.
De forma clara e explicita está declarado que os serviços cifrados passam a ter de entregar as chaves usadas para cifrar as comunicações e as informações que circulem facilitando o acesso a essa informação.

Esta medida levantou sérias preocupações em vários países, que vêem assim ser quebrada a segurança que estes serviços conseguiam dar a todos os que no território chinês necessitavam de manter o anonimato e o sigilo da informação trocada. O próprio presidente Barack Obama mostrou o seu desagrado, directamente ao presidente chinês, Xi Jinping.
Se para a maioria das empresas esta será uma medida simples de realizar, por terem as suas chaves de cifra guardadas, existem algumas como a Apple que não o podem cumprir, no caso do seu serviço de mensagens ou do próprio iOS.

O iMessages foi criado de forma a que nem a Apple consiga aceder às informações trocadas. No caso do iOS a cifra é também criada de forma a que nem a Apple consiga aceder à informação armazenada.
Esta nova lei é, para muitas grupos dedicados a defender os direitos humanos uma medida que vai contra algumas das liberdades mais básicas que se esperariam.
Não sendo uma lei que se considere estranha no caso da China, é uma medida que vai colocar a maioria das empresas externas em confronto directo com o governo chinês e criar backdoors que não são desejados.

Via: pplware
Fonte(s): pplware
Source: New feed pplware Linux