Antivírus chineses fazem sucesso pois são gratuitos, têm um visual simples, e prometem proteger o computador dos internautas e smartphones dos usuários, embora poucos se preocupem com o fato desses antivírus terem sido criados por empresas que nunca se focaram em segurança e cujo lucro vem da venda de banners no seu portal chinês (Qihoo) ou mecanismo de busca (Baidu).
Fica a pergunta: porque empresas que não têm nada a ver com segurança desenvolvem um antivírus?
[Artigo atualizado às 23:34 com informações adicionais sobre a PSafe]
Aqui no BABOO eu participo constantemente de discussões sobre antivírus, e no ano que vem eu completarei inacreditáveis 30 ANOS trabalhando com Windows, pois comecei a usá-lo em 1987 com a versão 2.01.
Durante todo esse período eu vivenciei AO VIVO o aparecimento dos primeiros vírus (eu me lembro muito bem da época que eu removia manualmente o vírus Jerusalém via DOS com um editor hexadecimal) e pouco tempo depois apareceu o primeiro antivírus: o Viruscan, um antivírus criado nas horas vagas por John McAfee, um ex-programador da NASA que trabalhava na Lockheed e que fundou a McAfee nesse mesmo ano).
Em uma época sem internet, os vírus tinham atuação limitada, mas com o aparecimento da internet, o problema dos vírus tornou-se mundial e a quantidade de vírus cresceu exponencialmente.
Hoje em dia eu fico impressionado com a complexidade e criatividade dos malwares atuais e o poder de destruição que alguns deles têm. Felizmente existem muitos antivírus excelentes no mercado, desenvolvidos por empresas focadas em segurança, e nos últimos anos apareceram no mercado alguns antivírus chineses.
Inicialmente esses antivírus chineses eram “secretamente” instalados quando o internauta fazia download de outros programas (WinRAR, VLC..) em sites de download como o Baixaki, Ultradownloads, Superdownloads e outros. Isso acontece pois esse método é muito lucrativo para os sites, pois eles recebem um valor fixo em dólar por cada infecção instalação. Multiplique isso por centenas de milhares de downloads todas as semanas, e a conclusão é que isso gerou alguns milhões de dólares de lucro. Você realmente acha que esses sites gastam uma fortuna em banda sem ganhar nada em troca?
No final o site e a empresa desenvolvedora do antivírus ganharam muito com isso, enquanto o internauta só perdeu: ele tinha um produto desconhecido e de qualidade duvidosa instalado em seu computador que muitas vezes era praticamente impossível de remover.
Além de antivírus, outros produtos “paralelos” também eram (e ainda são) instalados, como navegadores (UC Browser, Baidu Spark Browser..), aplicativos para otimizar o computador (Baidu PC Faster) e até sites que se tornavam a homepage obrigatória do usuário (Hao123 ou MoboMarket que são da Baidu). Infelizmente esse tipo de estratégia de baixo nível continua funcionando até hoje.
Em 2013 eu publiquei um artigo detalhado mostrando como esses sites e o Google ajudam a infectar o computador do internauta. Mas o pior nem é isso..

Antivirus chinês: a praga dos dias de hoje
Minha longa experiência em TI e segurança fez com que eu fosse contra esses antivírus chineses desde o início, e isso nunca mudou. Atualmente existem vários comentários sobre antivírus em artigos aqui do BABOO e sempre aparece algum defensor de antivírus chinês – principalmente em artigos têm longas discussões sobre isso.




Felizmente os internautas utilizam o antivírus que quiserem, mas a minha opinião pessoal e profissional sobre antivírus chines é simples: NENHUM deles é confiável. Eu reuni vários muitos motivos para justificar a minha opinião:
1. A China é conhecida pelo monitoramento da internet. O governo chinês emprega 2 milhões de pessoas para controlar a internet e recentemente tentou forçar que empresas de tecnologia estrangeira implementasse backdoors em seus produtos, além de fornecerem a chave de criptografia utilizada em seus produtos. Quem entende de segurança JAMAIS utiliza software chinês – e quem não entende também deveria fazer o mesmo.
2. Nenhum antivírus chinês foi criado por uma empresa seriamente focada em segurança:
Qihoo: o lucro da criadora do 360 Total Security vem da venda de espaços publicitários em seu portal e compartilhamento do lucro com desenvolvedores independentes de jogos. A empresa lançou recentemente um portal de busca para concorrer com o Baidu. A Qihoo tem um histórico de utilização de backdoor em seus produtos: em 2010 a Qihoo foi acusada de incluir um backdoor no Qihoo 360 (a empresa que acusou publicou o código obtido por engenharia reversa comprovando isso), em 2012 a Qihoo foi acusada de utilizar backdoor em suas apps pré-instaladas em smartphones (por causa disso a Huawei cancelou a parceria com eles) e em 2013 a empresa foi acusada de utilizar backdoors em seu antivírus para roubar dados dos usuários e instalar DLL no Windows sem o consentimento deles. Para fechar com “chave de ouro”, a Qihoo recolhe descaradamente dados privados dos internautas no 360 Total Security (leia  mais abaixo).
 
Psafe: Embora a PSafe seja uma empresa nacional (Grupo Xangô), desde 2013 a Qihoo tornou-se a principal investidora do antivírus brasileiro PSafe investindo nela US$ 30 milhões em 2013 e mais US$ 30 milhões em 2015. Não é à toa que a Política de Privacidade da PSafe inclui trechos como “A PSafe poderá confirmar os dados pessoais informados consultando entidades públicas, companhias especializadas ou bancos de dados e esta consulta está desde já expressamente autorizada”, além de “O usuário reconhece e concorda que a PSafe poderá coletar, usar, armazenar, tratar e transferir a terceiros suas informações de caráter pessoal com a finalidade de prestar quaisquer serviços já indicados nos produtos e/ou website da PSafe” e “A informação pessoal que solicitamos tem as seguintes finalidades: (…) Compartilhar a informação pessoal (incluindo endereço de e-mail) com os provedores de serviços ou as empresas de ”outsourcing“ que contribuam para melhorar ou facilitar as operações através da PSafe, como (sem limitar-se a) serviços de transporte, call centers ou programas de fidelidade, entre outros”. Além disso, em 2013 a PSafe fechou uma parceria com a BitDefender para utilizar a engine desta (algo comum em antivírus chineses como citado no item 3 abaixo) e, para finalizar, a PSafe lucra exclusivamente com propagandas (algo que não tem relação direta com o nível da segurança do produto) de maneira bastante similar aos antivírus chineses. Por todos esses motivos eu considero a PSafe como a “Qihoo brasileira” 😉

Baidu: é o maior portal de buscas na China, sendo considerado o Google chinês – ela inclusive tem a sua própria versão do Adwords e Adsense, que é o principal responsável pelo seu lucro. A empresa também está testando um carro que dirige sozinho (assim como o Google). No Brasil a Baidu e a Qihoo brasileira (PSafe) brigam entre si nos tribunais para que um não desinstale o antivírus do outro, e tenta se desculpar pelas táticas desleais de instalação de seus produtos pelos incautos internautas(!!). O resultado disso tudo é que 95,5% dos internautas não voltariam a fazer negócio com ela. Pior, impossível.
 
Tencent: é uma empresa de investimento que tem programas de chat, mídia social, e-commerce, distribuição de músicas online e que é conhecida por copiar tudo que seus concorrentes fazem. Ela é a maiores empresa de internet na Ásia e o seu programa de mensagem instantânea QQ tem mais de 830 milhões de usuários e atingiu 176,5 milhões de usuários online. Felizmente ela é pouco conhecida no Brasil.
 
3. Quando o Baidu Antivirus foi lançado no mercado ele utilizava o engine da Kaspersky, e nas versões posteriores ele utilizou o engine do Avira. A Tencent usava o engine do Avira e a Qihoo utilizava o engine do BitDefender. Os antivírus chineses sempre dependeram de mecanismos de terceiros para tentar alavancar a sua credibilidade e eficiência. Segurança é coisa séria, e o fato de dois antivírus chineses terem trapaceado em testes (Qihoo e Tencent) apenas confirma a falta de seriedade e credibilidade deles. 
4. A Qihoo não foi descartada pelas empresas de testes de antivírus à toa: ela foi pega trapaceando quando seu antivírus utilizou o mecanismo da BitDefender ao invés do mecanismo QVM próprio, mas a versão pública desse antivírus vem com o engine da BitDefender desabilitado e QVM habilitado, fornecendo muito menos segurança do que ela prometia. A Tencent foi ainda pior: ela detectava o teste executado pela AV-Test e simulava um scan mais rápido.
5. Software da China deve ser visto com desconfiança por quem entende de segurança: em 2014 a China proibiu o uso de antivírus da Kaspersky e Symantec nos computadores do governo, permitindo apenas a instalação de 5 opções de antivírus. Obviamente todos eles são chineses (inclusive a linha 360 da Qihoo). Porque será? 🙂
6. Duas das principais empresas independentes de testes de antivírus (AV-Comparatives, AV-Test e VirusBulletin) não testam mais antivírus chineses. A AV-Comparatives continua testando e o melhor antivírus chinês está no desconcertante 11º lugar. Há outras opções de antivirus gratuitos muito melhores.
6. [paranoia on] Se uma empresa qualquer quiser saber tudo sobre o internauta e deseja criar um aplicativo para monitorar ininterruptamente tudo que o usuário faz, todos sites navegados, todos e-mails, documentos fotos e arquivos do seu PC, enviando tudo isso para um servidor central sem chamar atenção, um antivírus gratuito seria uma solução ideal: ele faz tudo isso sem o usuário perceber, e este ainda fica feliz por estar “protegido” sem custo algum (e sem se preocupar que o antivírus foi criado por uma empresa que lucrará mais se souber os hábitos do usuário). E se esse antivírus também estiver no smartphone dele, isso seria perfeito! [paranoia off]
7. Conclusão: há vários antivírus gratuitos no mercado que foram desenvolvidas por empresas mais confiáveis e sérias, e simplesmente não há nenhum motivo ou vantagem em utilizar antivírus chinês (qualquer que seja ele).
Em mais uma discussão sobre antivírus chinês no artigo sobre o Kaspersky Free, o internauta Fabrício Sasaki postou uma informação valiosíssima sobre o 360 Total Security: a Política de Privacidade do 360 Total Security informa claramente que ele obtém praticamente TODAS as informações privadas do usuário (eu grifei as mais absurdas):
Nome
Endereço
Endereço de e-mail
Endereço comercial
Telefone
Data de nascimento
Raça
Sexo
Orientação sexual
Número do social security (equivalente ao nosso CPF)
Conta das redes sociais
Contatos
Logs das conversas
Mensagens de e-mail
Pesquisas realizadas no navegador
Histórico dos sites visitados
Seus dados bancários e senhas
Fatura do seu cartão de crédito
Histórico de transações bancárias
Histórico de compras
Sua foto (se for compartilhada)
Tradução: as informações que você se esforça para proteger de estranhos são enviadas diretamente para a Qihoo através do 360 Total Security. Isso é uma ação típica de malware – e não de um antivírus!
A minha sugestão é que você REMOVA IMEDIATAMENTE qualquer antivírus chinês que você esteja utilizando (no seu PC, notebook ou smartphone) e instale antivírus confiáveis de empresas que levam a sua segurança à sério. As minhas sugestões:
Antivirus gratuitos para PC
1. Panda Free 2016
É um antivírus leve e eficiente e atualmente minha principal indicação para quem quer um antivírus gratuito. 
2. BitDefender Free
É muito eficiente, mas limitado nas opções. Dica: você pode comprar a versão paga por apenas R$ 20 e que pode ser ativada em até 3 PCs. Essa promoção é de 2013 mas continua válida e no ar, com a vantagem de você atualizar para a versão mais recente (2016) gratuitamente.
3. Avira Free
Também é muito eficiente mas tem uma interface confusa.
Eu não recomento as versões gratuitas do Avast nem AVG pois eles são bem mais fracos do que o Panda Free (nas consultorias que eu realizo eu cansei de ver computadores infectados que têm esses antivírus instalados e atualizados, e o Panda Free sempre resolveu isso), e a AVG decidiu que pode vender seus dados para anunciantes(!)
Antivírus pagos
1. Kaspersky
Para mim e para as empresas que testam antivírus ele é o melhor. Completo, eficiente, e barato. Na loja oficial da Kaspersky ele custa R$ 69, mas lojas online (Kabum, Americanas..) vendem bem mais barato.
2. BitDefender
Está sempre entre os melhores nos testes. Veja a dica acima para comprar a versão paga por um valor baixíssimo.
3. Panda
Também está sempre entre os melhores nos testes.
4. Avira
Também é um ótimo antivírus, sempre estando entre os melhores do mercado, mas é caro.
 
Bem, é isso aí!
Felizmente vivemos em um país democrático aonde o internauta pode instalar e utilizar o antivírus que ele quiser, mas não custa nada ajudarmos o internauta brasileiro a escolher um produto confiável e sério, certo? Contribua em aumentar a segurança do internauta e sempre que alguém elogiar um antivírus chinês, peça para ele ler esse artigo: para facilitar, este artigo pode ser rapidamente acessado via www.baboo.com.br/antiviruschines 🙂
[]s
Aurélio “Baboo”
MVP Windows Experience

 

Artigos RelacionadosKaspersky Free é o primeiro antivírus gratuito da empresaPanda Free Antivirus 2016 v16.1.0Avira Free Antivirus v15.0.15.129AVG AntiVirus Free Edition v2016.7294avast! Free Antivirus 2016 v11.1.2241ESET lança o Smart Security 9 e o NOD32 Antivirus 9AVG pode vender dados de usuários do seu antivírus gratuito para anunciantesAntivirus Qihoo 360 Total Security trapaceava em testes
Source: New feed Baboo Segurança